síndrome do ombro congelado

Síndrome do ombro congelado: sintomas, causas e tratamentos

A Capsulite Adesiva, também conhecida como síndrome do ombro congelado, é um quadro que se caracteriza por limitação dos movimentos e intensa dor no ombro, que pode durar vários meses ou até anos. Ela é provocada por uma inflamação da cápsula que reveste a articulação do ombro.

Neste artigo, explicaremos o que é a síndrome do ombro congelado, quais são os seus sintomas, causas e as formas de tratamento disponíveis. Confira!

Quais são os sintomas da síndrome do ombro congelado?

A síndrome do ombro congelado, geralmente, desenvolve-se lentamente e em três estágios: 

  • estágio de congelamento — qualquer movimento do ombro causa dor e a amplitude começa a ficar limitada;
  • palco congelado — a dor pode começar a diminuir durante esse estágio. No entanto, o ombro fica mais rígido e o movimento mais difícil;
  • estágio de descongelamento — a amplitude de movimento do ombro começa a melhorar.

Para algumas pessoas, a dor piora à noite, às vezes, interrompendo o sono.

O que causa a síndrome?

Quem tem desequilíbrio hormonal, diabetes ou um sistema imunológico enfraquecido, pode estar propenso à inflamação das articulações.

Um longo período de inatividade devido a uma lesão, doença ou cirurgia também torna a pessoa mais vulnerável a inflamações e aderências, que são bandas de tecido rígido. 

Em casos graves, o tecido cicatricial pode se formar. Isso limita severamente sua amplitude de movimento. Normalmente, a condição leva de dois a nove meses para se desenvolver.

Diagnóstico da Capsulite Adesiva

O diagnóstico da síndrome do ombro congelado é feito pelo médico ortopedista, por meio de exame físico e de exames complementares.

A radiografia e a ultrassonografia não são bons exames para o diagnóstico da Capsulite Adesiva, mas ajudam no diagnóstico diferencial, pois podem identificar outras causas de dor no ombro, como bursite e tendinites.

Agora, se após os exames de imagem, o médico ainda estiver na dúvida do diagnóstico, a ressonância magnética é o exame mais adequado para avaliar a saúde da cápsula articular. Nas fases iniciais da doença, porém, a ressonância não consegue identificar a capsulite.

Como um ombro congelado é tratado?

O tratamento é definido conforme o estágio em que se encontra a doença.

Fisioterapia

Aparelhos, como TENS (um método que utiliza corrente elétrica aplicada à pele com finalidade analgésica), ultrassom e corrente galvânica podem ser úteis para diminuir a dor e o desconforto, além de técnicas de mobilização e os exercícios de alongamento que devem ser realizados em casa e também no consultório.

Bolsas de água quente são úteis para colocar antes de fazer os alongamentos porque relaxam os músculos e facilitam o estiramento muscular, já as com gelo picado são indicadas para o final de cada sessão porque diminuem a dor.

Cirurgia

A cirurgia é a última opção de tratamento e o médico ortopedista poderá realizar uma artroscopia ou uma manipulação fechada que devolverão a mobilidade do ombro. Após o procedimento, a pessoa precisa voltar à fisioterapia para agilizar a cicatrização e continuar com exercícios de alongamento.

Lembre-se, o procedimento para reversão da síndrome do ombro congelado só deverá ser realizado por ortopedista especializado, com o acompanhamento de equipe anestésica e de fisioterapeuta. Ainda, a colaboração do paciente é outro ingrediente importante e imprescindível.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como  ortopedista em Aracaju.

Dr. Ronald Barreto

Posted by Dr. Ronald Barreto