artrose no quadril

Artrose no quadril: sintomas, causas e tratamentos

A artrose no quadril, na maioria dos casos, é produto do desgaste natural da articulação. A artrose pode se fazer presente em qualquer parte do corpo onde haja articulações, como ombro, cotovelo e joelho.

Por ser decorrente de um processo natural, costuma aparecer com maior frequência em pessoas com mais de 40 anos. No entanto, pode ser consequência de traumatismos e esforço repetitivo, tanto ligado à prática esportiva quanto ao trabalho.

Sintomas

A dor no quadril, que piora quando o paciente anda, fica sentado por um período prolongado ou deita de lado com o peso do corpo sobre a articulação afetada, é o sintoma característico. A dor provocada pela artrose faz com que o paciente ande mancando. É comum o uso de bengala para apoiar e dar equilíbrio aos movimentos.

Além disso, há outros sintomas, como:

  • sensação de formigamento ou dormência nas pernas;
  • queimação na batata da perna;
  • dificuldade para movimentar a perna ao acordar;
  • irradiação da dor até o joelho.

Além disso, o paciente tem grandes dificuldades de executar movimentos que envolvam a articulação do quadril, como se abaixar para amarrar o sapato, levantar do sofá ou cortar as unhas dos pés.

Causas e tratamento

A artrose no quadril é caracterizada, principalmente, pelo desencaixe da cabeça do fêmur no acetábulo do quadril. Essa condição gera osteófitos, formações ósseas em forma de gancho que surgem ao redor da superfície articular, que fica áspera e irregular, o que acarreta o atrito e os principais sintomas, que são a dor e a redução da capacidade de movimentação. Os osteófitos são produto de um processo degenerativo das cartilagens.

Além do desgaste natural e dos traumatismos, a artrose pode estar ligada a doenças como artrite reumatoide, espondilite anquilosante, artrite séptica, displasia do quadril e diabetes.

Nesse caso, o tratamento da artrose passa pelo tratamento das patologias subjacentes. Em qualquer caso, é preciso que haja o combate aos sintomas, que é feito com medicação e fisioterapia. Eventualmente, não havendo melhora com o tratamento conservador, pode ser indicada a cirurgia para substituição da cartilagem por uma prótese.

Os remédios usados no tratamento são os anti-inflamatórios. O ortopedista pode indicar, também, o uso de corticoides, no caso de não haver uma reação satisfatória aos anti-inflamatórios.

Tanto uns quanto outros devem ser tomados somente em situações em que haja agravamento dos sintomas, já que o uso regular desses medicamentos pode provocar outros problemas, como úlceras no estômago e problemas renais.

Outra medida aceitável no tratamento é a suplementação com colágeno hidrolisado e outras substâncias que ajudam na renovação da cartilagem.

Por fim, tanto para prevenção quanto para o tratamento da artrose no quadril, a prática de exercícios físicos é recomendada. No caso do paciente dessa doença, são indicadas atividades como pilates, bicicleta e hidroginástica.

São exercícios que fortalecem a musculatura que protege as articulações. Alongamentos e exercícios funcionais também são importantes para devolver ao paciente a qualidade de vida perdida com a incidência dos sintomas.

Quer saber mais?Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como ortopedista em Aracaju.

Comentários
Dr. Ronald Barreto

Posted by Dr. Ronald Barreto